Se recordar é viver, então recordemos! --- Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores tristes de um passado já distante!
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos








De: Silvino Potêncio > Lembranças do I.A.R.N. (Leia-se: Instituição de Apoio à Roubalheira Nacional)  


O 25 de Abriu-loooooo  trouxe três novos esteriotipos de Emigração Lusitana e,  infelizmente,  40 anos depois se conclui que todos fomos ludibriados pela velha prática do ESCAMBO.
-  Os (agora) NOVOS GOVERNANTES todos eles independentemente da idade e do Partido a que se associaram, eles usaram, abusaram e ainda continuam a usar a mesma técnica milenar de trocar seis por meia dúzia,  a qual foi apreendida dos Fenícios muitos Séculos atrás que, não eram emigrantes nem Refugiados mas que atravessavam o Mediterraneo para comercializar os mais diversos produtos ao longo da Costa da Europa, desde Gibraltar até ao Mar do Norte.

 - Como eu não sou especialista em História Antiga e... honestamente, talvez nem da moderna ou menos ainda da Contemporânea, eu estou aqui todo baralhado pelos acontecimentos da nossa história moderna mais recente - a dos dias de hoje. E então vejamos isto com outros olhos e outras palavras, outros eventos e situações mais modernas,  mais  actualizadas... iiii aatãon lá bai!
Os Emigrantes de dentro da Europa,  vulgarmente apelidados de “avecs” por absoluta ignorância e desconhecimento dos verdadeiros interesses políticos dos  (agora) novos donos do poleiro Alfacinha, mesmo depois do aclamado "golpe de mão" dado pelos Militares contra o sistema então vigente (alguns diziam que naquele tempo, eles só viram animais...) mesmo assim eles continuaram a Emigrar com base na falsa ilusão de que as dificuldades no Portugal Ibérico,  eram causadas pelo retorno de aproximados 2 milhões de cidadãos Portugueses à Metrópole. Esses cidadãos Portugueses de facto e de direito, na sua grande maioria nascidos no Ultramar!, eles voltaram juntos com aqueles que embora nascidos em Portugal, não eram benvindos se não tivéssem dinheiro para comer e trabalhar.
-  Naquele verão quente de 1975,  era preciso dar de comer a toda essa gente! E então como resolver isso?!...

Em troca de favores internacionais junto às duas potencias na época,  foi feito um negócio de “escambo” :
Primeiro os Russos providenciaram a proteção territorial no agora Independente Ultramar, em troca de ali instalarem a sua ideologia podre de um comunismo corrupto e fracassado!
E do outro lado os Gringos  "Muy Amigos" Americanos garantiram que o Petróleo de Cabinda, de Angola e de São Tomé e Principe, (por sugestão dos ocupantes do poleiro interino em Lisboa) continuassem a fluir em direcção às Refinarias do Jack Texas -  ficou em suspenso o Petróleo de Timor,  por causa de outros interesses ali localizados... Todavia, e em contrapartida com um perfeito golpe de manobra do tipo "Escambau"  os Retornados (nós) seriamos protegidos e recambiados de volta ao Ultramar e,... principamente os refractários de origem branca, se necessário seriamos todos jogados aos Tubarões!...  
Expressão registrada pela imprensa na época do então Traidor Nacional por Excelência, o Ti Busch Echas... traidor sim! porque vender o que não lhe pertence e assinar documentos em nome do Estado, fosse como Presidente de uma República que mais parecia uma "marioneta nas mãos dos acima citados", quer fosse como Primeiro Ministro foi e é Alta Traição à Pátria, qualquer que seja a Nação traída em casos como este.
Fizeram-se acordos que ninguém cumpriu. Vendeu-se O Patrimônio que ninguém pagou até hoje, enfim propagou-se uma fanfarronice a que se chamou "revolução" mas que na realidade tudo não passou de uma vigarice, homologada pelo POVO que, secularmente, aceita "pão e circo" - hoje simplesmente leva-se a "malta a ver a bola"!    

Os Emigrantes de fora da Europa, principalmente os do Brasil e do Continente Americano como um todo,  foram deliberadamente enganados pela euforia “xuxialista” espalhada aos quatro ventos pelos (agora) novos “ Vendedores de Banha da Cobra Lusitanos” onde a praga se propagou como um autêntico virus através do escambo ainda hoje terrivelmente utilizado!... Na época mandaram-se 30 mil Cubanos “libertadores”  para Angola e em troca “El Comandante” recebeu “via Russia” o pagamento em espécie de muitos milhões até hoje desconhecidos.
Por curiosidade algo mórbida, houve Portugueses que visitaram Cuba só para verem as “maravilhas” que lá tinham em termos de Democracia e... na volta diziam o jargão que vigora até hoje em Portugal... Lá em Cuba em democracia somos todos iguais!... mas quem manda sou eu!... e Prontos está tudo dito.

Os Emigrantes resultantes de todo o mundo aonde conseguimos alguma forma de vida digna, somos todos os outros que formamos o execrável título de RETORNADOS,  excluídos da sociedade Lusitana pelos motivos já explicados,  e sobretudo por causa de doença colectiva incurável a “tinha” . Invariávelmente nas negociações dos Acordos firmados pelos politicos e pelos Militares,  com destaque para o do Alvor e o de Luzaka, a pergunta formal era sempre a mesma: o que é que tinha antes do 25 de Abril?! ... evidentemente a resposta era também invariável;
Bem,... eu tinha isto e aquilo e aqueloutro!... 
E as reações eram imediatas!... ai “tinhas”?!...
Pois então para sarar a doença instalada em Portugal como uma autêntica “praga” os governantes ineptos, incompetentes, mas ávidos de maracuataias do tipo “Salvador da Pátria” onde se aplicou a Lei do Gerson (vulgarmente conhecida pela dicotomia do “dois pra mim e um pró dizmo” ou, só vai na bola se for garantido fazer golo) eles resolveram o problema e deu-se-lhes a estes novos Emigrantes RETORNADOS um nome todo pomposo “DESCOLONIZAÇÃO EXEMPLAR”!!!...
Para encher os olhos do Mundo,  não se gastaram balas nem bombas, nem vacinas, nem remédios caseiros, mas acabou-se com todos os “TINHOSOS” e baniram-se assim todos para a Emigração por conta própria.
No principio o dinheiro vinha a “rodos” aos montes e aos pacotes através do IARN (alguns péssimistas visionários ainda acreditaram nesta sigla I.A.R.N. (Instituição de Apoio a Roubalheira Nacional)   todavia,   tal como “Ciganos” e alguns apátridas pelo meio, nós, desta classe Emigrante continuamos a carregar as “bicuatas” às costas mundo afora,  porque já não temos mais idade para vestir camuflado.  
- Aliás os (agora) NOVOS DONOS DO POLEIRO NA ASSEMBLEIA DA RÉPUBLICA chamam-nos de “peste grisalha”!... Que miserável educação eles receberam...

Como despedida desta crônica, deixo-vos versos do Ti Alfredo Marceneiro:
Cabelo branco é saudade//Da mocidade perdida!...
Às vezes não é da idade//É dos desgostos da vida!...  

PORTUGAL É ETERNO! ....
Até breve, e nunca se diga adeus para sempre!
Silvino Potêncio/Emigrante em Natal-Brasil – Outubro/2014

 
Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 30/09/2014
Alterado em 25/06/2018
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários