A cultura de um POVO não pode, não deve NUNCA, se submeter a ideologias politicas ou partidárias muito menos financeiras ou económicas pois que; inspiração ou intelecto não se compra nem se se vende! É como o amor, já vem do berço!... (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos



                          


A beleza das coisas e das pessoas não está nelas e sim nos olhos de quem as vê! 
Daí surge a constatação milenar de que; "quem o feio ama, bonito lhe parece"! Todavia sabemos que aqueles que mais amamos são também aqueles que mais nos decepcionam ao vermos que ninguém perfeito!
Poema extraído do meu livro de POEMAS DE ANGOLA - "Eu, O Pensamento, A Rima!" já publicado em PDF pela AGBOOK + Clube de Autores!


Eu  Contemplei a madrugada !... (007)
 
Contemplei a madrugada... (tão desabrida)
  Vi como o sol se desprende das trevas,
    Vi as estrelas fugirem dos céus;
Acordei para mais um dia de vida,
   - Quando a manhã surgiu entre névoas.
Guardei recordações dos sonhos em véus!
Contemplei a madrugada (e que momento!)
  Que vem depois de uma noite perdida,
 Daquelas em que o amor procura cobaias,
      Sedentas do mais puro sentimento
       Procurando nelas as novas guaridas
 E apenas encontra o som de um lamento! 
De Novo...
Eu  Contemplei a madrugada, 
Contemplei a madrugada (para escutar )
 Gemidos de flores que ao desabrochar,
  Atraem insectos que andam no ar.
Ocupam o espaço com o seu bom aspecto,
  Transpiram beleza como o sol  do alvor,
  Que aquece e ilumina os cantos da terra,
  E oferecem seu seio sem luta nem repto!
 Eu Contemplei a madrugada (e senti)
  Senti que o frio corria ao redor,
    Passando por mim como flecha doirada,
 Trazendo-me paz  numa carta fechada.
Lançada por arco e mãos do Senhor! Renovando-me forças para um novo amor.

(in: POEMAS DE ANGOLA – “EU, O PENSAMENTO, A RIMA”)

De: Silvino Potencio – Emigrante Transmontano em Natal/Brasil

Silvino Potêncio
Enviado por Silvino Potêncio em 24/07/2013
Alterado em 08/11/2019
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários