As Rimas do meu versejar são veredas por onde vagueia a esmo a poesia, sem rumo, sem norte, cujo azimute é apenas um mote! (Silvino Potêncio)
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Silvino Potêncio - Emigrante Transmontano em Natal
Escrevemos hoje as nossas alegrias para aliviar as dores de um passado já distante!(SilvinoPotêncio)
Textos
Título Categoria Data Leituras
As Minhas Obras Literárias Análise de obras 06/02/19 7
Portugal tem dos melhores vinhos do Mundo. Cartas 28/01/19 25
Declaração de Amor à Lingua Portuguesa ... Cartas 23/01/19 19
Carta Aberta ao Senhor Presidente... Cartas 13/01/19 27
Ingleses!...Os "Amigos de Peniche"! Artigos > Música 12/01/19 27
"OS NÏZCAROS"... (DEZ) Ilusão numero 1 Análise de obras 05/01/19 16
Esperança!... A Fé que remove montanhas. Cartas 02/01/19 29
"OS GAMBUZINOS" - Uma obra de "fique são" Análise de obras 22/12/18 12
A praga das PPP em Portugal Discursos 21/12/18 32
A Carta da Minha Professora Primária Cartas 20/12/18 67
Perfeito Palavreado Politico Português Tautogramas 20/12/18 21
"OS NÏZCAROS" - Aonde estão os meus Amigos!? Crônicas 16/12/18 22
Eu... quem sou!? Análise de obras 16/12/18 24
"OS NÏZCAROS" - A decomposição da Língua do Ultramar Crônicas 15/12/18 17
Lembranças de Angola Biografias 15/12/18 67
A Lusofonia ficou mais Pobre... Homenagens 14/12/18 70
Pedro Alvares Cabral... herói quase desapercebido em Portugal Cartas 12/12/18 22
"OS NÏZCAROS"... uma Sátira à Governação Lusitana Análise de obras 11/12/18 35
Roma Não Paga Traidores!... Prosa Poética 28/11/18 83
Tenho Saudades de Mim!... Poesias > Saudade 26/11/18 35
Página 1 de 24 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [próxima»]